EnglishPortuguese
EnglishPortuguese

O Projeto

S4F – Competências de Futuro

O Valor e a Eficácia de um Ensino Superior Baseado em Competências

Objetivos:

O projeto S4F – Competências de Futuro (PTDC/CED-EDG/29726/2017), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, promoveu a constituição de uma rede alargada e multidisciplinar de investigadores com cinco grandes objetivos:

Criar um quadro conceptual de identificação e interpretação das necessidades de competências transversais associadas à transformação do emprego jovem e qualificado, baseado no estado da arte da investigação sobre este tema;

Desenvolver novas ferramentas empíricas e experimentais para avaliar as competências transversais desenvolvidas por diplomados do ensino superior (ES) universitário e comparar essas estimações com medidas comumente utilizadas de qualificações e competências.

Aferir o valor dessas competências em termos da promoção de maior empregabilidade, melhores remunerações nos primeiros anos de carreira profissional e um melhor ajustamento entre emprego e qualificações;

Avaliar e discutir em que medida a organização do sistema de ensino superior promove a acumulação deste tipo de competências e as implicações da transição para um modelo de organização baseado em competências. Contribuir assim para o debate sobre a necessidade e os desafios de adotar uma lógica de um Ensino Superior baseado em competências.

Alertar os decisores de políticas públicas para que considerem esta capacidade de resposta do sistema de ensino superior e os possíveis desfasamentos entre oferta e procura de competências. Esse desfasamento deverá resultar no desperdício de recursos públicos e num menor contributo do sistema de ensino para o aumento dos níveis de produtividade da economia portuguesa.

Investigadores

Universidades

Entrevistados

Avaliadores

 Atividades 

Na sequência do impacto da pandemia COVID-19, o projeto foi reorganizado nas seguintes atividades:

MAPA CONCEPTUAL

Enquadramento do projeto e das questões de investigação ao abrigo da revisão de literatura nos seguintes temas:

a) o futuro do emprego;
b) os resultados de aprendizagem no Ensino Superior e a sua articulação com as exigências do futuro do emprego;
c) os quadros de referência nacionais e internacionais de competências essenciais para o futuro do emprego;
d) a avaliação de competências transversais no Ensino Superior;
e) o papel do Ensino Superior na preparação dos alunos pós-graduados para o mercado de trabalho;
f) a análise da possibilidade de um Ensino Superior baseado em competências.

RESULTADOS DE APRENDIZAGEM E COMPETÊNCIAS

Identificação dos resultados de aprendizagem que o sistema do Ensino Superior Português reconhece como essenciais na descrição do perfil do aluno em cada ciclo de ensino de graduação e pós-graduação e análise da correspondência entre os resultados de aprendizagem e as exigências do mercado de trabalho (relativamente às aptidões e competências requeridas).

RETORNOS DE COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

Avaliação do retorno das competências transversais através da análise das ocupações e das tendências de empregabilidade – mudanças na oferta e na procura –, do perfil de competências exigido, do vencimento associado a diferentes ocupações e perfis de competências, e da evolução na carreira.

TRANSFORMAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO

Análise da transformação do mercado de trabalho para os (pós-)graduados, incluindo a sua estrutura ocupacional e de competências exigidas, e avaliar a eventual falta de correspondência (mismatch) com as competências detidas pelos (pós-)graduados.

Especificamente, procurou-se investigar:

a) quão relevante é o mismatch vertical e horizontal entre os graduados e os pós-graduados Portugueses;
b) como é que a sua incidência tem mudado ao longo do tempo, como resultado da expansão do Ensino Superior;
c) em que medida este mismatch é variável em função das diferentes áreas de estudo;
d) o que poderá explicar as tendências encontradas, nomeadamente no que se refere às mudanças na estrutura de ocupações e de tarefas do emprego para graduados e pós-graduados e, consequentemente, no perfil de competências exigido, e;
e) como projetar estas tendências no futuro de modo a antecipar as competências necessárias para o futuro do emprego.

DESAJUSTAMENTO ENTRE OFERTA E PROCURA DE QUALIFICAÇÕES

Análise do impacto da falta de correspondência (mismatch) entre as competências detidas pelos (pós-)graduados e as exigidas pelos empregadores. Pretende-se analisar e refletir sobre o impacto nos salários e no tipo de ocupações ao longo da experiência profissional e nos padrões de mobilidade ao longo do ciclo de vida em função das diferentes áreas de estudo do Ensino Superior, o impacto das competências transversais em oportunidades de trabalho não correspondentes ao perfil de competências técnicas e a evolução das trajetórias profissionais.

MINI-ENTREVISTAS MÚLTIPLAS

Adaptação do método das Mini-Entrevistas Múltiplas, usado em escolas de medicina, para a avaliação de competências transversais em alunos finalistas de mestrado em outras áreas de estudo (Engenharia Informática, Marketing, Design, Economia e Engenharia Biomédica).

Para a adaptação da medida foi já efetuada:

a) a revisão de literatura para a identificação e a compreensão das competências necessárias nas profissões de futuro;
b) a definição do perfil de competências alvo de análise no projeto S4F;
c) a construção de cenários para a avaliação das competências em foco no S4F – versão 1, para o estudo-piloto;
d) a construção do guião para o avaliador onde constam as instruções de implementação da prova – versão 1, para estudo piloto;
e) a implementação do estudo-piloto junto de alunos da Universidade do Minho.
O estudo de desenvolvimento da prova encontra-se autorizado pelas respetivas Comissões de Ética das Universidades do Minho, do Porto e de Aveiro.

ENSINO SUPERIOR BASEADO EM COMPETÊNCIAS

Integração dos resultados dos diferentes estudos empíricos no debate acerca do valor de um Ensino Superior baseado em competências. Implica uma análise crítica da organização do Ensino Superior, das competências e da empregabilidade, de modo a informar o debate acerca dos desafios enfrentados pelo Ensino Superior para conciliar uma abordagem baseada em competências com as exigências do mercado de trabalho.

Em última análise, será debatida a modernização do Ensino Superior e o seu papel na preparação dos estudantes para o mercado de trabalho, e a sua capacidade e a abertura para a mudança de paradigma traduzida em alterações curriculares, de forma a ir ao encontro das exigências de um mercado mais competitivo.

  Trabalho de Campo 

Além da recolha e tratamento de dados secundários sobre a procura e utilização de competências no emprego e sobre a sua influência nos perfis de empregabilidade dos jovens qualificados, uma parte importante dos recursos do projeto foram dedicados à recolha de dados primários sobre os níveis de competências transversais dos estudantes de segundo ciclo do ensino superior. O trabalho de campo de organização das mini-entrevistas múltiplas digitais que permitiu a recolha de dados sobre 132 estudantes de 15 mestrados envolveu:

  • criação de uma equipa de gestão de projeto com quatro elementos
  • pedido de parecer às comissões de ética da UA, UM, UP
  • criação, seleção e adaptação de seis estações de avaliação em formato de mini-entrevista múltipla digital
  • preparação de material de divulgação e recrutamento
  • sessões de recrutamento junto de 15 diretores de cursos de mestrado das 3 universidades
  • preparação e formação dos avaliadores (24 no total)
  • criação de plataforma informática de gestão de contactos com participantes e avaliadores do estudo
  • definição e implementação de políticas de privacidade de dados pessoais
  • recolha de dados dos participantes através de inquéritos para estudos de validade
  • desenvolvimento e aplicação de questionário de avaliação de perceções
  • 39 sessões de avaliação digitais
  • criação de repositório de vídeos e sessões de avaliação assíncrona dos participantes
  • envio de relatórios personalizados de avaliação de competências transversais a todos os participantes

O processo de recolha de dados é resumido no gráfico seguinte:

0