Slider

c-futuro.org

Objetivos

Desenvolver novas ferramentas para avaliar as competências transversais necessárias no século XXI

Aferir o valor de competências transversais na promoção de maior empregabilidade 

Promover a reflexão acerca do papel das instituições de ensino superior na preparação dos diplomados para o futuro do emprego

O Emprego do Futuro

Inovações tecnológicas

As novas tecnologias associadas à digitalização, automatização e inteligência artificial estão a transformar o mundo do trabalho, com o aumento da procura por perfis profissionais mais qualificados.

Mercados mais competitivos

A globalização do trabalho e as inovações tecnológicas estão a alterar a forma de prestação de bens e serviços e a organização do trabalho com a possibilidade de se produzir, testar, implementar, monitorizar e comunicar soluções à distância.

Novas formas de organização interna das empresas

A digitalização do emprego tem contribuído para a diluição de fronteiras entre setores, a procura de perfis de competências interdisciplinares e a adoção de estruturas organizacionais mais descentralizadas e assentes em metodologias de trabalho por projeto.

Sociedade digital

A produção e a disseminação do conhecimento digital coloca desafios na apreciação da informação disponibilizada online e na adaptação à utilização de ferramentas e redes de comunicação sociais em atividades pessoais e profissionais.

previous arrow
next arrow
Slider

Competências Transversais para o Futuro do Emprego

Resolver Problemas

Processo de identificação, descoberta ou criação de estratégias para lidar com um problema que implica a análise da situação-problema, da informação disponível e das alternativas de resposta para uma tomada de decisão.

Gerar novidades

Criação de novos produtos, novas ideias ou abordagens.

Recetividade à Diferença e à Mudança

Recetividade aos outros e a novas informações, ideias e experiências.

Aprender a aprender

Capacidade para gerir as próprias experiências de aprendizagem e de progressão na carreira através da implementação de um plano de ação e da gestão do tempo e da informação disponível.

Demonstrar uma atitude profissional

Uma atitude profissional implica a demonstração de autonomia no contexto de trabalho, bem como capacidade de iniciativa e de resiliência.

Trabalhar em equipa

Trabalho com outras pessoas com vista a atingir um objetivo comum, onde cada elemento do grupo assume papéis e funções distintas

Comunicar eficazmente

Capacidade para receber e transmitir informação de forma eficaz, considerando diferentes perspetivas, reconhecendo o impacto do significado da mensagem e adaptando o meio e a forma de comunicar ao contexto e ao público-alvo.

Liderar

Capacidade de influenciar os outros e os persuadir a atingir determinadas metas.

Demonstrar orientação para o mercado

Compreensão do cliente, da organização e do contexto de negócio ou área de trabalho mais alargados.

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

Avaliar Competências Transversais através de

Mini-Entrevistas Múltiplas

Implica:

  • A resposta a 6 cenários / situações-problema em ambiente virtual (4 individuais e 2 coletivos)
  • 10 min para responder a cada situação, incluindo 2 min de preparação
  • O contacto com diferentes avaliadores devidamente treinados
  • Várias oportunidades para demonstrar diferentes competências
  • Devolução de resultados aos participantes

Promove:

  • Maior autoconhecimento
 
  • Maior conhecimento das competências transversais valorizadas no mercado de trabalho
 
  • Experiência na resposta a possíveis situações-problemas colocadas pelos empregadores

.

Público-Alvo

Estudantes do 1º e 2º anos de Mestrados nas Áreas de Economia, Gestão, Engenharia Informática, Engenharia Biomédica, Engenharia Biológica, Psicologia e Matemática.

.

Recrutamento

Estamos a recrutar participantes das Universidades de Aveiro, Minho e Porto. Inscreve-te aqui para iniciares a tua participação no projeto.

.

Dia 1

A tua participação no projeto começa com uma sessão de esclarecimento on-line de aproximadamente 30 minutos.

Dia 2

No segundo dia pediremos, por e-mail, que preenchas um breve questionário de caracterização do teu perfil de empatia, personalidade e inteligência emocional.

Dia 3

Na última etapa serão realizadas as mini-entrevistas múltiplas e um questionário de avaliação dessas provas.

.

Resultados

Por último, enviaremos os resultados das provas aos participantes sob estrita confidencialidade.

.

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Slider

Competências Básicas para o Futuro do Emprego

Competências Digitais:

 Acesso a informação digital e compreensão do conteúdo, comunicação e colaboração em ambientes digitais, criação de conteúdos digitais, implementação de medidas de segurança digital e resolução de problemas com recurso às tecnologias.

Competências STEM

 Compreensão de princípios científicos, tecnológicos e matemáticos e a sua utilização para a análise crítica da informação disponível e o levantamento de hipóteses com vista à resolução de problemas práticos complexos.

Literacia e Comunicação:

 Descodificação, compreensão, criação e comunicação de  informações ou opiniões nas modalidades oral e escrita de forma a atingir objetivos específicos e usufruir de diferentes oportunidades de aprendizagem.

Línguas e culturas:

 Aprendizagem de novas línguas e comunicação nas modalidades oral e escrita (conversação, compreensão do que é lido e escrito, escrita) em mais do que uma língua fundamentais para a formação ao longo da vida.

Notícias
Avaliação de competências transversais através do método das Mini-Entrevistas Múltiplas

Avaliação de competências transversais através do método das Mini-Entrevistas Múltiplas

Sandra Santos, Carla Freire, Iris Barbosa, Hugo Figueiredo e Manuel João Costa apresentaram na 13th International Conference of Education, Research and Innovation (ICERI 2020), o trabalho "Assessing transversal competencies for the future of graduate work: An adaptation of the multiple mini-interviews method".

Os retornos da educação pós-graduada

Os retornos da educação pós-graduada

Miguel Portela, João Cerejeira, Carla Sá, Pedro Teixeira e Hugo Figueiredo, em coautoria com André Almeida e C. Braga apresentaram a comunicação “Returns to postgraduate education: Holding on to a higher ground?” na Portugal Stata Conference 2020.

Os desajustamentos entre os níveis de qualificações dos trabalhadores portugueses e os níveis de qualificações exigidos nas ocupações e os seus efeitos.

Os desajustamentos entre os níveis de qualificações dos trabalhadores portugueses e os níveis de qualificações exigidos nas ocupações e os seus efeitos.

Anabela Carneiro. Os resultados da tese de doutoramento “Skill Mismatches and Labor Market Outcomes” de Isabel Araújo, orientada por Anabela Carneiro, indicaram que os retornos salariais à sobre e sub-educação são substancialmente reduzidos quando se controla para as características não observáveis das empresas e dos trabalhadores [...].

Competências para o Futuro do Emprego

  • Rua 1º Dezembro, 399
    4450-277 Matosinhos
    Portugal
  • s4f@cipes.up.pt

Este trabalho é financiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P., no âmbito do projeto PTDC/CED-EDG/29726/2017.